Como fica a alíquota do Simples Nacional a partir de 2018?

30 ago, 2017 | Simples Nacional | 0 Comentários

A partir de 2018 o cálculo do Simples Nacional se torna bem mais complexo de se compreender, já que passam a valer as alterações trazidas pela Lei Complementar nº 155/2016.

O número de faixas de faturamento é reduzido de 20 para apenas 6. Além disso, o cálculo do Simples devido mensalmente passa a incorporar uma característica semelhante à do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) das pessoas físicas. Após a aplicação de uma alíquota percentual, também é necessário abater a parcela a deduzir em Reais (R$) incorporada aos Anexos da LC 123/2006.

Assista o vídeo completo no blog Foco Tributário →

Publicações recentes

live-10-clausulas-contratuais-relevantes-para-uma-gestao-tributaria-mais-eficiente-ft-na-pratica

Live #10: Cláusulas contratuais relevantes para uma gestão tributária mais eficiente [FT Na Prática]

O professor Alexandre Marques juntamente com o professor Gustavo Reis debatem o tema durante a demonstração de exemplos práticos (…)

diarias-de-viagem-estao-sujeitas-ao-irrf-e-inss

#340: Diárias de viagem estão sujeitas ao IRRF e INSS?

O tratamento tributário das diárias de viagens pagas pela empresa aos seus empregados sempre foi alvo de grandes (…)

ate-que-ponto-o-principio-da-territorialidade-impede-a-retencao-do-iss

#339: Até que ponto o princípio da territorialidade impede a retenção do ISS?

É muito comum os tomadores de serviços se depararem com dúvidas quanto a aplicação do princípio da territorialidade da (…)

por-que-o-inss-dos-optantes-do-simples-nacional-e-tao-complicado

#338: Por que o INSS dos optantes do Simples Nacional é tão complicado?

O INSS das empresas do Simples Nacional é tema sempre controvertido para aqueles que lidam com a (…)

quando-a-bitributacao-do-iss-pode-ser-evitada-pelo-prestador-do-servico

#337: Quando a bitributação do ISS pode ser evitada pelo prestador do serviço?

Nos treinamentos em que abordamos a retenção do ISS na contratação de pessoas físicas e jurídicas é bastante comum (…)

Posts relacionados